Alguns dados sobre conteúdo:

78% dos diretores de marketing afirmam que conteúdo é o futuro do marketing.

1. 72% dos profissionais de marketing pensam que conteúdo produzido pela marca é mais eficiente que anúncios em revistas e 69% dizem que o retorno é maior que mala direta e PR.

2. Leads nutridas fazem compras 47% maiores que leads não nutridas pelo marketing.

3. Profissionais de marketing B2B afirmam que falta de tempo (69%), produção de conteúdo suficiente (55%) e produção de conteúdo engajador (47%) são seus principais desafios em marketing de conteúdo.

4. 37% dos profissionais de marketing afirmam que blogs são o formato mais valioso em uma estratégia de marketing de conteúdo.

5. Marcas que fazem 15 blog posts por mês fazem em 26 média 1200 leads por mês.

6. Empresas B2B que possuem blogs geram 67% mais leads que as empresas que não blogam.

7. Sites corporativos com blogs tem 434% mais páginas indexadas e 87% mais links indexados nos buscadores.

8. As 3 táticas mais adotadas de marketing de conteúdo são vídeos (87%), artigos de blog (86%) e eventos (85%).

9. 70% dos consumidores preferem conhecer uma empresa através de conteúdo do que de publicidade.

10. 55% dos compradores gastam mais tempo agora que no passado procurando informações sobre o produto e a empresa na internet– em comparação a 47% dos consumidores em 2011.

Blog corporativo

Mas será mesmo que a minha marca precisa de um blog?

Bem, eu vou falar mais um pouco sobre esta ideia caso você não tenha se convencido mesmo depois de ler aqueles 10 tópicos. Sim, a sua empresa precisa de um blog. Na grande maioria dos casos é possível demostrar a qualidade dos seus produtos, os diferenciais ou até seu know-how através de artigos bem pensados e publicados em um blog. As pessoas buscam informações constantemente e na maioria dos casos elas querem duas coisas:

– Dicas ou ideias que possam ajuda-las a resolver algum problema, como trocar a torneira da cozinha que está vazando, como fazer uma pizza ou mostrar gráficos no Excel.
– Opiniões sobre produtos ou serviços – principalmente antes de pagar por eles.

O blog é o espaço ideal para que a sua empresa possa falar melhor sobre lançamentos, tecnologias, como fazer uma X coisa com o seu produto, etc. Melhor ainda se este blog fizer parte do seu site corporativo, isto é, se ele estiver integrado dentro do seu site e não hospedado em um serviço a parte como o Blogger ou o WordPress.com. Blogs tem uma ótima indexação pelas ferramentas de busca, como o Google por exemplo. Assim sendo, ter um blog junto do seu site empresarial irá ajudar no posicionamento do seu site nas buscas.

Outra função do blog é servir como origem para o conteúdo que você irá espalhar nas suas redes sociais, isto é: aquele texto incrível que você criou explicando as mil e uma utilidades do seu produto ficará perfeito no seu blog e será melhor ainda quando você espalha-lo pelas redes sociais que a sua empresa usa – ou nas newsletters. Os visitantes irão chegar até você através das buscas e através das redes sociais.

Usando o mesmo pensamento, um blog também pode seu usado na direção contrária, ou seja, para fazer com que seus leitores que chegaram através de uma busca no Google possam ter acesso aos seus outros canais sociais, seja por meio de um artigo onde você divulga alguma ação que está fazendo no Facebook, por um vídeo que você embutiu em um artigo ou até por um simples botão de “Curta nossa fanpage” ou “Nos siga no Instagram”…

Há muito tempo atrás se falava que o conteúdo era rei. Então apareceram as redes sociais e deixaram as pessoas um tanto quanto cegas para esta questão do conteúdo fora das redes. Apareceu uma fase onde muitos preferiam dar atenção ao conteúdo postado no Facebook e em outros veículos, em detrimento de uma fonte informação mais consistente. Não por culpa dos profissionais, mas porque as redes sociais eram o grande destaque do período.

Mas então o Facebook, que era a menina dos olhos de todos, resolveu reduzir o alcance das postagens e assim as marcas viram o engajamento reduzir e ter que ser adaptado. Alguns começaram a usar mais outras redes sociais, outros reduziram as postagens no Facebook privilegiando aquelas que mais rendem e outros voltaram para as suas origens: criar e manter um conteúdo próprio – uma base de informação que realmente mostre a qualidade e seus diferenciais de forma mais palpável, com mais volume – e que não suma na timeline de um dia pro outro. O conteúdo – que nunca deixou de ser Rei – lustrou a coroa empoeirada e voltou aos seus dias de glória.

Claro, os motivos para ter um blog vão muito além da redução de visibilidade das postagens no Facebook. Acima de tudo, entenda que um blog próprio, bem trabalhado, mantido e atualizado constantemente será seu porto seguro sempre, não importa qual é a rede social que está em alta no momento, ele sempre lhe trará visitação.

Que tipo de conteúdo eu coloco no meu blog?

Defina um padrão de conteúdo – que não precisa estar relacionado somente com seus produtos ou serviços – mas que pode perfeitamente citar assuntos que sejam do interesse do seu consumidor/cliente. Um exemplo: um escritório de arquitetura pode muito bem manter um blog para falar de novos materiais, dar dicas de casas mais sustentáveis ou mesmo decoração de interiores. Não se limite!

Outro detalhe – seu blog não é mais um canal de venda, ele não é um folder onde você vai colocar a foto de um produto, escrever um parágrafo de texto e colocar um preço. Ele pode até ter esta função, apontando através de links as páginas do seu site onde o leitor pode comprar esse ou aquele item. Porém o foco de um blog é o conteúdo, como eu disse antes, o importante é a realeza! Venda seu conhecimento, não só sobre seus produtos ou serviços mas sobre o que transita ao redor do seu nicho de atuação. Ah sim, nem sempre você precisa abusar dos termos técnicos. Em muitos casos simplifique – ainda mais se o seu objetivo for atingir consumidor final, aquele que é leigo na sua área de conhecimento. Se sua empresa atua em um segmento técnico onde os clientes são igualmente técnicos, como empresas da área de serviços off shore, não é tão necessário que você abra mão dos conceitos e termos usados normalmente no seu ramo.

E o que eu não devo fazer no meu blog corporativo?

O mesmo que você não deve fazer em nada que esteja relacionado com seu trabalho:

– Não fuja da postura profissional (a menos que se trate de empresas com mais flexibilidade, como bares, cervejarias, estúdios de design menos formais, etc)
– Mantenha um padrão de escrita correto.
– Não copie material dos outros.
– E mantenha um ritmo de trabalho na publicação e manutenção do blog (aprovar comentários, limpar os spams, responder perguntas…)